Blog

Fazendas Históricas: Fazenda São Roque

Às margens da rodovia Lúcia Meira (BR 393) no KM 49,5 no trecho entre Barra do Piraí e Vassouras, está localizada a Fazenda São Roque. Da estrada mesmo dá pra ver um pedacinho dela. Um lindo casarão em “L” disposto sobre um platô ladeado por um muro de arrimo em pedra seca que delimita o antigo terreiro de café da propriedade. A composição entre o casarão, grandes árvores dispostas em torno dele e o muro feito de pedras que cerca ambos, dão a dimensão da beleza do lugar.

 

Um grande portão de ferro na entrada separa dois mundos. Quem passa por ele faz uma viagem no tempo e vai parar no Brasil oitocentista, quando o país era o maior exportador mundial de café e o Vale do Paraíba Fluminense o grande responsável por isso.

 

Não há registros sobre a data exata da construção da Fazenda São Roque, mas ela se deu provavelmente bem no início do século XIX. A sesmaria onde está localizada foi concedida em 31 de outubro de 1803 ao Tenente Antônio da Costa Franco, que foi quem construiu a São Roque e a batizou em homenagem ao seu pai, Roque da Costa Franco. O conjunto atual é formado pela casa sede, pelo terreiro de café, e pelas ruínas do que pode ter sido um moinho.

 

No século XX, o café cede lugar ao gado e aos poucos os antigos cafezais vão sendo substituídos por pastos. É nesse período que ocorreu a maior parte das demolições das antigas dependências das fazendas cafeeiras do Vale do Paraíba, bem como alterações na configuração original dos antigos solares.

 

A Fazenda hoje pertence ao empresário do Turismo e da Hotelaria Ernani Bertino Maciel, que reformou por conta própria parte da propriedade. Além de aproveitar a fazenda estrategicamente para utilização turística, ele e sua filha, Marta Bertino, passaram a disponibilizar a Fazenda São Roque para a realização de festas e eventos. “O mercado de casamentos tem crescido em larga escala. Decidimos oferecer um serviço que pudesse aliar o charme e o requinte do século XIX a uma produção moderna e arrojada”, conta Marta.

 

Muita pesquisa e investimento foram necessários para dar conta da realização de uma obra que mantivesse a fidedignidade com a fazenda original. Atualmente, a Fazenda São Roque, além de seu exterior restaurado, tem o interior decorado com mobiliários da época.

 

O local conta com 3 salões para até 250 convidados, além de uma varanda coberta que também pode ser utilizada, proporcionando mais conforto ao público. Um vasto campo gramado e antigas ruínas formam cenários perfeitos para cerimônias ao ar livre, trazendo todo o charme dos casamentos no campo, com a bela fazenda histórica de fundo. Possui ainda outro espaço interno, ideal para cerimônias menores que pode ser utilizado em dias de chuva. Todos os salões são decorados com mobiliário da época. Para as noivas que desejarem se arrumar no local, a Fazenda São Roque oferece uma suíte especial, que também pode ser utilizada para fotos de making of das noivas. A São Roque oferece toda estrutura necessária para a realização de eventos e também a possibilidade do cliente contratar serviços adicionais para além do espaço como decoração, buffet, equipamentos, fotografia e filmagem. Para isso tem firmado parcerias com importantes empresas do mercado.

 

Além dos eventos a Fazenda São Roque recebe também visitas guiadas de grupos agendadas previamente, a maioria delas feitas por escolas da região e de todo o estado do Rio de Janeiro.

 

Arquitetura

De proporções elegantes, com cobertura em telhas de barro capa e canal, tem cunhais bem marcados e generosos beirais em madeira pintada; vãos de janelas com vergas retas e folhas de guilhotina em caixilhos com vidro, dispostas uniformemente; acesso através de uma escada em pedra, com patamar protegido por delicada cobertura metálica arrematada por lambrequim. Piso em assoalho sobre barrotes de madeira; alvenarias do porão em pedra e do

pavimento térreo originalmente em pau-a-pique, à exceção de uma parede em pedra nesse pavimento.

A fazenda passou por inúmeras intervenções ao longo das décadas. Quando serviu de base para abrigar os engenheiros e funcionários das obras da rodovia 393, o interior da casa sofreu diversas alterações. O porão foi escavado, aumentando o pé-direito para a instalação de uma cozinha e refeitório dos funcionários, transformando-se em um pavimento inferior.

Em registro de 1976 no arquivo do INEPAC, consta um acesso externo diretamente ao porão pela fachada principal e uma escada interna igualmente acessando o porão desde o pavimento superior. Essas intervenções foram retiradas em antigas obras de restauração, mas o proprietário atual tem intenção de reconstruir essa passagem original entre o porão e o térreo.

 

História da Fazenda

Sabe-se pouco sobre o primeiro proprietário da Fazenda, o Tenente Antônio da Costa Franco. Era natural da capital do império, a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e lá possuía uma casa comercial. Tinha ainda a patente de tenente. Contraiu núpcias com Dona Helena Maria d´Assunpção – sobre quem também não sabe-se muito – com quem teve dois filhos: Thereza Maria d´Assunpção e Manoel da Costa Franco.

O local escolhido para a instalação da sede da propriedade foi uma várzea localizada às margens de um córrego que faz a sua barra a poucos metros do Rio Paraíba do Sul. Estrategicamente localizado, o Solar de São Roque foi construído numa elevação que domina toda a planície fronteira à fazenda, ocupada, na sua maioria, por um imenso terreiro de café sustentado por muros de arrimo em pedra seca.

Do tenente Antônio da Costa Franco, a propriedade passou para o filho Manoel da Costa Franco que faleceu em 1873 no Rio de Janeiro e a deixou para a esposa Mathilde Amália. Mathilde por sua vez encarregou o genro Dr. Francisco Álvares de Azevedo Macedo à administração da Fazenda. Posteriormente Mathilde vendeu a fazendo ao genro que tentou mantê-la com muito custo mas logo após a abolição a vendeu também, para o Dr. Jerônymo de Freitas Guimarães que a vendeu em 1908 para o senhor Manoel José dos Reis, proprietário de terras e imóveis na região de Vassouras. Os sucessores de Manoel José dos Reis foram proprietários da São Roque durante anos, entre eles, Antônio Dias Costa Reis, responsável por uma grande reforma realizada em 1927.

 

 

Mais informações:

Serviço: Visitas agendadas, Aluguel do espaço, Buffet, Decoração

Localização: KM 49,5 da BR 393 – 100 Km do Rio de Janeiro

Telefone: (21) 97977-7555 – Não seria bom colocar aqui também o tel da Ribeirão?

Site: www.fazendasaoroque.com.br

email: contato@fazendasaoroque.com.br

 

Fontes:

– Informações do Inventário das Fazendas do Vale do Paraíba Fluminense, realizado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC);

– Entrevistas com os proprietários.

Por José Luiz Júnior (Revista Vale do Café)